RELAÇÃO DO PRÓXIMO LOTE DOS EX-VIGILANTES DA EMPRESA ROCHA.

Em virtude de problemas ocorridos nos lotes anteriores referentes as conta bancarias a diretoria do Sindicato dos Vigilantes apresenta relação do próximo lote a ser pago através da justiça, para verificação das contas apresentadas pela empresa.

Confirma sua Agência, Conta e Digito.  Caso sua conta do banco do Brasil esteja desativada entre em contato com o Sindicato para as devidas alterações.

Nome do Funcionário Cidade Agência Conta Dg.
ALEXSANDRO MORAES DE SOUZA Chupinguaia 1182-7 36912 8
GEZIANNY TEIXEIRA GONCALVES DE CARVALHO Ji-Paraná 0951-2 51803 4
GIL NASCIMENTO HURTADO Porto Velho 3796-6 18544 2
GLEDISON MIGUEL RODRIGUEZ PEREZ Porto Velho 3796-6 19576 6
GLEDSON GOMES DE OLIVEIRA Porto Velho 0102-3 65127 3
GUILHERME DOS SANTOS RIBEIRO Parecis 1181-9 33213 5
HARRY GILBERTO DA SILVA CARVALHO Porto Velho 0102-3 44378 6
HEIDNERE DE SOUZA MATOS Porto Velho 3796-6 22205 4
HELIOMAR OLIVEIRA MONTEIRO Porto Velho 0102-3 50578 1
HERICLENYS COSTA PAES Porto Velho 0102-3 57195 4
HUEBERSON RODRIGUES DE SOUZA Espigão do Oeste 1597-0 14998 5
HUGO JOÃO BATISTA RICIERI RODRIGUES Jaci Paraná 2290-X 66486 3
HUMBERTO ICHU MOYE Porto Velho 3796-6 14466 5
INAE ALTVIG MANHAES Ji-Paraná 0951-2 51268 0
IRENILTON PEREIRA RIBEIRO Abaitará 1406-0 35181 4
IRISMAR BENEDITO SANTOS Porto Velho 0102-3 32100 1
ISMAEL DA SILVA DE SOUZA Costa Marques 2223-3 12759 0
ISRAEL FRANCISCO DOS SANTOS Ji-Paraná 1405-2 11030 2
ISRAEL MARTINS ALVES Ji-Paraná 4268-4 8548 0
ITALO RAFAEL CUELLAR CLEMENTINO Porto Velho 3231-X 6918 3
ITAMAR ROBERTO DE OLIVEIRA Boa Esperança de Chupingu 1182-7 45163 0
ITIEL NUNES PINHEIRO DE OLIVEIRA Porto Velho 2270-5 25702 8
IVAI LOPES REINA Ji-Paraná 4268-4 8547 2
IVANETE SOUZA DA SILVA Porto Velho 2270-5 12594 6
IVANILDO DE SOUZA Boa Esperança Chupinguaia 1182-7 49606 5
IVETE SOARES DOS SANTOS Nova Colina 0951-2 54095 1
IZAC PEREIRA LIMA Porto Velho 2270-5 24286 1
IZAIAS AUGUSTO GOMES DA SILVA Porto Velho 3796-6 19703 3
IZAIAS CLEMENTE DE OLIVEIRA Ji-Paraná 1405-2 8657 6
IZAIAS NEVES DE JESUS Vilhena 1405-2 26011 8
IZEL DE OLIVEIRA LABORDA Porto Velho 0102-3 29642 2
JACONIAS VIANA DA COSTA Ji Paraná 4268-4 6483 1
JACKSON LEAL DO NASCIMENTO São Miguel do Guaporé 2292-6 18219 2
JACKSON MARTINS BARBOSA Porto Velho 3796-6 22498 7
JACSON GAMA DE ANDRADE Mirante da Serra 4001-0 17005 4
JACSON LOPES BRITO Porto Velho 0102-3 29646 5
JAILSON FLOR Cacoal 1179-7 21065 X
JAIME DE JESUS DOS SANTOS Porto Velho 0390-5 26573 X
JAIRO LEMOS DE BRITO Porto Velho 0102-3 31909 0
JAIRO LOPES DE LIMA Nova União 1404-4 29378 4
JAMES DA SILVA BERNARDO Vilhena 1182-7 45272 6
JAMES MARTINS GERVASIO Colorado do Oeste 1381-1 15562 4
JANDEL ROBERTO DE SOUZA Seringueiras 4127-0 10412 4
JANE DE OLIVEIRA Cujubim 1178-9 50509 9
JARBAS LUIS DE ALMEIDA Urupá 4007-X 9134 0
JARDEL FRANCISCO VAZ DE ALMEIDA Porto Velho 3231-X 20714 4
JEAN FRANCISCO DA SILVA Porto Velho 0102-3 30676 2
JEFERSON BOTELHO PANTOJA Calama 3796-6 21269 5
JEFERSON FRANC DE OLIVEIRA Alvorada do Oeste 2184-9 11922 9
JEFSON ADRIANO DE LIMA PINHEIRO Porto Velho 2270-5 23310 2
JESSICA CORDEIRO DA SILVA ARIQUEMES 5075-X 205 4
JESUS DAVID DE LIMA Cacoal 3231-X 21550 3
JOAB DE MORAIS CARDOSO Porto Velho 0102-3 32384 5
JOAO ADEMIR ALVES DA SILVA Ji-Paraná 0951-2 28760 1
JOÃO BATISTA FERREIRA MARTINS Itapuã 3231-X 25462 2
JOAO BOSCO BARROS DE SOUZA Porto Velho 0102-3 30747 5
JOAO BOSCO FREITAS ALVES Porto Velho 3796-6 22948 2
JOAO CARLOS FERREIRA DA SILVA Cacoal 1179-7 22777 3
JOAO DE DEUS CEZARIO SILVA Porto Velho 0102-3 29669 4
JOAO FERREIRA LIMA NETO Porto Velho 0102-3 30526 X
JOAO GOMES DE SOUSA Porto Velho 3796-6 10476 0
JOAO JOSE DE ANDRADE Parecis 4006-1 10755 7
JOAO LEOZIR GOMES Mutum Paraná 0102-3 42549 4
JOÃO MATOS DO NASCIMENTO Porto Velho 0102-3 58228 x
JOAO NUNES DA CRUZ Ouro Preto 1404-4 13723 5
JOAO OLIVEIRA GOMES Porto Velho 0102-3 29675 9
JOAO RODRIGUES DA SILVA FILHO Porto Velho 0102-3 47715 X
JOÃO ROGERIO DOS SANTOS Seringueiras 4127-0 9844 2
JOAO ROSA DE OLIVEIRA FILHO Ji-Paraná 0951-2 54279 2
JOAQUIM SANTOS SANTANA Riozinho 1179-7 22281 X
JOCIRLEI FERREIRA DOS SANTOS Calama 3181-X 28678 8
JOEL ANTUNES FARIAS São Francisco do Guaporé 4125-4 11760 9
JOEL CARDOSO FEITOSA Porto Velho 3796-6 10383 7
JOELMA SILVA DE MORAIS DOS SANTOS Ji-Paraná 0951-2 24244 6
JONAS COELHO DAS GRAÇAS Porto Velho 0102-3 29681 3
JOSE AFONSO DA SILVA Buritis 4286-2 7583 3
JOSE ALDECLEI DUARTE DE SOUZA Porto Velho 0102-3 50503 X
JOSE ALVES DUARTE Rolim de Moura 1406-0 27171 3
JOSE ANTONIO DE OLIVEIRA FARIAS Porto Velho 2290-X 47878 4
JOSE APARECIDO PEREIRA Porto Velho 3796-6 8355 0
JOSE ARAUJO NASCIMENTO Porto Velho 3796-6 10470 1
JOSE ARIMATEIA RODRIGUES SILVA Porto Velho 0102-3 32588 0
JOSE AUGUSTO DA CONCEIÇAO FERREIRA Porto Velho 0102-3 32442 6
JOSE BARBOSA SOBRINHO Vitória da União 1182-7 41050 0
JOSE CARLOS ALMEIDA DE SOUZA Porto Velho 0102-3 29688 0
JOSE CHRISTO Ouro Preto 1404-4 23341 2
JOSE DAMIÃO DE LIMA Porto Velho 2270-5 23827 9
JOSE DAMIAO RIBEIRO DA COSTA Porto Velho 0102-3 31003 4
JOSE DO SOCORRO LEITE Seringueiras 4127-0 6379 7
JOSE GILMAR CUNHA BRAGA Porto Velho 0102-3 29708 9
JOSE HENRIQUE DA SILVA Ji-Paraná 0951-2 24394 9
JOSE JACINTO AMARO Ji-Paraná 0951-2 39686 9
JOSE MARCOS DA SILVA Costa Marques 4003-7 17676 1
JOSÉ MARCOS TOMÉ SERVALHE São Carlos 3181-X 27583 2
JOSE MARIA BRAUNA DE MESQUITA Cacoal 1179-7 29659 7
JOSE MILTON SOUZA RIBEIRO Presidente Medice 1405-2 17817 9
JOSE NETO DE SOUZA Porto Velho 3231-X 19319 4
JOSE NILTON DA SILVA Cacoal 1179-7 22036 1
JOSE ONIAS DE SANTANA Porto Velho 3231-X 6396 7
JOSE ORLANDO LIMA SA Ouro Preto 1404-4 18403 9
JOSE PEREIRA DE SOUZA Cacoal 1179-7 21071 4
JOSE RAFAEL GOMES VIAMONTE São Carlos 0102-3 58519 X
JOSE RAIMUNDO PEREIRA DA SILVA Porto Velho 0102-3 29727 5
JOSE REDUCINO VIEIRA Porto Velho 2270-5 19102 7
JOSE RICARDO BRANDÃO Monte Negro 4002-9 13451 1
JOSE ROBERTO DOS REIS Nova Brasilândia 4003-7 12075 8
JOSE ROBSON PEREIRA DE AZEVEDO Itapuã do Oeste 3796-6 18361 X
JOSE RONALDO COSTA Nova Brasilândia 4003-7 9536 2
JOSE SENHORINHO DOS SANTOS FILHO Ji-Paraná 0951-2 13394 9
JOSE SOUTO PACHECO SOBRINHO Porto Velho 0102-3 30504 9
JOSE SOUZA DE FREITAS Porto Velho 3796-6 20241 X
JOSE WELITON OLIVEIRA DA SILVA Chupinguaia 1182-7 44530 4
JOSEMIR FERREIRA DOS SANTOS Triunfo 2290-X 61618 4
JOSIAS LOPES DA SILVA Itapuã do Oeste 3796-6 11965 2
JOSIELE FARIA Buritis 4286-2 13909 2
JOSILEI NASCIMENTO FONSECA Porto Velho 2270-5 21138 9
JOSIVAN MARQUES DA SILVA Porto Velho 3181-X 31562 1
JOSUE FRANCISCO CHAGAS Teixeiropolis 1404-4 32575 9
JUARES GOMES SANTOS Porto Velho 0102-3 29742 9
JUAREZ RODRIGUES Monte Negro 4002-9 14112 7
JUCEANA ALMEIDA DE SOUZA Porto Velho 3796-6 13107 5
JUCELI RAMOS DA SILVA Campo Novo 4286-2 14121 6
JUCELIA CAMARGO BARBOSA Boa Esperança de Chupingu 1182-7 45248 3
JUDIMAR RIBEIRO DA COSTA São Francisco do Guaporé 4125-4 12587 3
JULIEL DE OLIVEIRA Primavera de Rondônia 1181-9 34764 7
JULIMAR DE SOUZA Riozinho 1179-7 21076 5
JULIMAR LOPES DA SILVA Porto Velho 3796-6 6656 7
JULIO CESAR BEZERRA DE OLIVEIRA Ji-Paraná 0951-2 13676 X
JUNIOR CESAR RODRIGUES FERREIRA Nova Londrina 0951-2 51493 4
JUNIOR LEMOS DE BRITO Porto Velho 0102-3 35468 6
JURANDIR FERREIRA DE SOUZA Alto Alegre dos Parecis 4006-1 10744 1
JUSCELINO GUSTAVO DE OLIVEIRA Ji-Paraná 0951-2 51806 9
JUSTINIANO AGUIAR DO ROSARIO JUNIOR Porto Velho 3796-6 8557 X
KEILA SILVA DOS ANJOS Presidente Medici 1405-2 8425 5
LAURINALDO MARQUES FERREIRA Cujubim Grande 2270-5 25554 8
LAURO BRAZ INOCENCIO Ji-Paraná 4001-0 11933 4
LEANDRO DOMINGOS CLERES Ji-Paraná 4268-4 13387 6
LEANDRO GOMES DA SILVA Itapuã do Oeste 1178-9 48445 8
LEANDRO MAGNO CHIODI Nova Brasilândia 1406-0 37762 7
LEANDRO RODRIGO DOS SANTOS Porto Velho 3796-6 20284 3
LEILTO DE OLIVEIRA VIOTO Itapuã do Oeste 3796-6 21354 3
LENINE LOPES DUARTE Buritis 4286-2 12508 3
LEOMIR VIEIRA SABINO Nova Brasilândia 4003-7 13572 0
LEONAR SALES DE SOUZA Mirante da Serra 4001-0 14911 X
LEONARDO TELES DA ROCHA Porto Velho 0102-3 29752 6
LEONIDAS HENRIQUE PEREIRA DA SILVA Porto Velho 0102-3 35058 3
LEONILZA RIBEIRO GONÇALVES Porto Velho
LETICIA GABRIELA GONÇALVES FERREIRA Porto Velho 3231-X 22840 0
LEUNI LIMA PAIVA Itapuã do Oeste 3796-6 17161 1
LIBERIO REIS MARQUES Porto Velho 3231-X 72766 0
LIDEILSON FRANCISCO LELES PEIRA Ouro Preto 1404-4 23652 7
LIDIANE DA SILVA MORAIS Porto Velho 2270-5 19831 5
LILIANE DE SOUZA JESUS Porto Velho 3796-6 10443 4
LINDOBERTO FERREIRA DA SILVA Porto Velho 3796-6 9723 3
LINDOMAR ANTUNES DA SILVA Nova Estrela 1406-0 36846 6
LINDOMAR CASTILHO SILVA Cabixi 3998-5 9896 5
LINDOMAR DA SILVA RIBEIRO Porto Velho 0102-3 53893 0
LINDOMAR REGONATE DA SILVA Santa Luzia 4006-1 10739 5
LOGIALDO TORRES GIL Porto Velho 3181-X 19837 4
LOURENÇO PINHEIRO DE SOUSA NETO Porto Velho 3796-6 20312 2
RUDINEI FREIRE DE ARAUJO Presidente Médici 1405-2 17568 4

Informamos que caso as pessoas relacionadas acima que estejam com a conta encerradas entre em contato com o Sindicato para apresentar nova conta para deposito, não deverão ser apresentadas contas de terceiros.

Telefones para contato:

Sindicato: 3222-2877 ou 3222-8134

Sec. Geral Valdemar: 9300-2926 ou 8407-4303

Dir. Financeiro Marinor: 9261-5532 ou 8434-9546

FONTE: SINTESV/RO.

A EMPRESA RONDA RECEBE DINHEIRO DO DETRAN E NÃO PAGAR VIGILANTES DO INTERIOR

Após seis anos sendo administrado pelo tribunal do trabalho a empresa ronda recebe dinheiro do DETRAN/RO e não pagou vigilantes do interior. A diretoria do Sindicato desde o dia 01 de abril tentou obter resposta do gerente da empresa Sr. SAMUEL, pelo o fato de apenas os vigilantes que prestam serviço ao DETRAN/RO da capital ter recebidos e os do interior não, o mesmo só falar que estava fazendo coisa que não ocorreu.

O sindicato procurou o diretor financeiro do DETRAN/RO para cobrar sua responsabilidade de fiscalização do contrato como não obtiveram resposta na manha de hoje protocolarão oficio de paralisação, caso o pagamento dos vigilantes não seja realizado na data de hoje.

Veja oficio:

oficio ronda 001

oficio ronda II 001

A diretoria comunica aos vigilantes do DETRAN/RO do interior que caso o pagamento não sai hoje os mesma suspendam as atividade por 24 horas.

Fonte: SINTESV/RO.

APOS LIBERA BLOQUEIO PARA POLICIA FEDERAL REALIZAR PAGAMENTO DOS VIGILANTES SINDICATO FECHA ACORDO COM A EMPRESA FORTESUL PARA QUE OS VIGILANTES RECEBAM DIRETO DO ÓRGÃO FIOCRUZ .

IMG-20150406-WA0005

Apos reunião sindicato fechou acordo para que os vigilantes que prestam serviço para a FIOCRUZ recebam os pagamentos e vales alimentações e ferias de janeiro, fevereiro e março de 2015, conforme reunião ficou acordo que os pagamentos serão realizados direto pelo órgão ate que a empresa FORTESUL venha a regularizar sua situação ou ate o termino do contrato.

IMG-20150406-WA0007

A Diretoria continua não medindo esforços para garantir que os vigilantes da empresa fortesul recebam seus diretos e informa que esta aguardando resposta dos outros órgão que a empresa prestar serviço. Caso não obtenha resposta dos demais órgãos a assessoria jurídica do sindicato estará indicando as mesma para que a justiça do trabalho solicite o imediato bloqueio dos créditos.

FONTE: SINTESV’RO.

DEPUTADOS SOLICITAM DO GOVERNO VIGILANTES PARA AS ESCOLAS.

01/04/2015 – 16h53min

Parlamentares explicaram que algumas escolas estaduais já sofreram mais de 20 furtos.

Liliane Oliveira 

FU

O deputado Dr. Neidson (PTdoB), com apoio de mais 10 parlamentares, apresentou indicação parlamentar coletiva durante a sessão ordinária desta quarta-feira (01) na Assembleia Legislativa, sobre a possibilidade de o Governo do Estado disponibilizar profissionais na área de segurança, no caso vigilantes, para atender as escolas do Estado. “Quero agradecer a todos que assinaram a indicação”, destacou.

Dr. Neidson reclamou dos furtos nas escolas, citando que só a Escola Estadual Paulo Saldanha, em Guajará-Mirim, sofreu 23 furtos e as escolas em Rondônia não podem continuar sofrendo com violência diária. “Os furtos vem ocorrendo com uma frequência assustadora, causando danos relevantes para as unidades educacionais”, afirmou.

O deputado Adelino Follador (DEM) parabenizou o parlamentar por trazer a tona essa questão dos vigilantes. Disse que sugeriu que houvesse uma reunião do Governo com empresas de vigilância para que possa ser feita a segurança nas escolas pelo menos das 23h às 6h, explicando que está se criando um clima de insegurança entre professores, alunos e está havendo receio de pais que deixam seus filhos nas escolas.

“Creio que a redução da maioridade penal para 16 anos, aprovada na Comissão de Constituição e Justiça na Câmara e que deve seguir em frente, vai amenizar um pouco a violência que vivemos”, destacou Adelino.

O deputado Édson Martins (PMDB) sugeriu que o pagamento de vigilantes seja realizado através do Programa de Apoio Financeiro (Proafi). “Creio também que poderemos diminuir a violência começando da educação em casa. Nem todas as escolas são assaltadas. Quando a comunidade ajuda a cuidar da escola, conscientiza o filho”, observou, ao que o deputado Adelino respondeu: “Não podemos evitar furtos nas costas dos pais. O problema é o vínculo empregatício e não há legalidade para contratação através dos recursos do Proafi”.

O deputado Aélcio da TV (PP) disse que as escolas de Porto Velho também têm sido alvos constantes de assaltos. “Tenho certeza que se colocar na ponta do lápis traz mais prejuízos ficar sem vigilantes. Traz danos não é só materiais, mas moral e psicológico. Hoje a cidade já está com insegurança por conta do número reduzido de policiais em seu contingente”, argumentou.

O deputado Léo Moraes (PTB) parabenizou pela iniciativa, citando que em Porto Velho a Escola Manaus foi assaltada mais de 30 vezes e realmente precisam ser adotadas medidas enérgicas para resolver este problema nas escolas.

A diretoria do Sindicato estará entrando em contato com o Dep. Dr. Neidson para da apoio a sua revindicação.

Fonte: URL: http://www.tudorondonia.com/noticias/deputados-solicitam-do-governo-vigilantes-para-as-escolas,51198.shtml

 

APOS BLOQUEIO JUDICIAL DOS CRÉDITOS DA EMPRESA FORTESUL POLICIA FEDERAL JUNTO COM O SINDICATO SOLICITA LIBERAÇÃO DOS CRÉDITOS PARA PAGAR DIRETO AOS VIGILANTES E JUIZ CONCEDE O PEDIDO.

VEJA DECISÃO: 

PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO

4ª VARA DO TRABALHO DE PORTO VELHO

Rua Prudente de Moraes, 2313, Centro, PORTO VELHO – RO – CEP: 76801-039

PROCESSO Nº 0000242-10.2015.5.14.0004
RECLAMANTE(S): MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO 14ª REGIÃO
RECLAMADO(S): FORTESUL SERVICOS ESPECIAIS DE VIGILANCIA E SEGURANCA LTDA

                    

D E S P A C H O

A União, por meio da Petição Id83d6c6a, requer retificação da determinação que deferiu o pedido de liminar, para que seja expedido novo Mandado de Bloqueio, desta feita, para cumprimento junto a União, endereçada à AGU – Procuradoria da União no Estado de Rondônia,situada na Av. Nações Unidas nº 271 – Nossa Senhora das Graças – Porto Velho – RO – Cep. 76804-110, restituindo-se integralmente o prazo processual.

A União requer seja retificado o Mandado de Bloqueio de modo a permitir o pagamento dos salários e demais direitos aos empregados terceirizados da empresa Fortesul Serviços Especiais de Vigilância e Segurança Ltda. que prestam serviços nas dependências do Departamento de Polícia Federal em todo o estado de Rondônia, referentes aos meses de janeiro e fevereiro de 2015 (já vencidos) e de março/2015 (a vencer nos próximos dias).

Aduz que, sendo acatado o pedido, eventual saldo remanescente será bloqueado, depositado e colocado à disposição desse Juízo em conta judicial, nos termos requeridos inicialmente.

A medida cautelar visa assegurar o resultado útil do processo. Trata-se de medida revogável e alterável a qualquer tempo por outra medida mais efetiva, de acordo com o poder geral de cautela.

Nessa linha, o pagamento direto aos vigilantes pelo órgão ao qual presta serviços atende à finalidade da cautelar, pois resolve com celeridade o estado de inadimplência, por meio de mecanismos contratuais ao dispor da administração.

Portanto, o bloqueio de créditos não deve obstar que os entes da administração pública direta ou indireta efetuem o pagamento salarial direto ao verificar a inadimplência da empresa contratada, pois faz parte do seu dever de fiscalização contratual (art. 67 da Lei 8.666/93).

Por tais motivos, considerando a urgência e o caráter alimentar da verba salarial, defiro o pedido, para que a União Federal possa efetuar os pagamentos de dos salários e demais direitos, relativos aos meses de janeiro a fevereiro de 2015, relativo aos trabalhadores que prestam serviço junto ao Departamento de Policia Federal, mediante comprovação nestes autos, no prazo de 10 dias após o efetivo pagamento.

Mantenho o bloqueio do débito remanescente como ordenado na decisão originária e registro que, em caso de inadimplemento dos meses seguintes, nada obsta o requerimento a este juízo com a informação da ausência de adimplemento salarial para as providências cabíveis, no sentido de assegurar o recebimento da verba salarial pelos trabalhadores.

Dessa maneira, com fulcro nos arts. 798, 799 e 804/CPC, defiro o pedido de bloqueio de valores, conforme segue:

Intimem-se as partes da decisão.

Intime-se à AGU.

Proceda-se a citação da requerida para, querendo, responder aos termos da presente ação, sob pena de revelia.

Fica autorizada a Secretaria, sob a supervisão imediata do Diretor, a confeccionar e subscrever os expedientes necessários ao fiel cumprimento do quanto acima determinado.

Porto Velho, 31-3-2015.

     Jobel Amorim das Virgens Filho

           Juiz do Trabalho Substituto

Assinado eletronicamente. A Certificação Digital pertence a:
[JOBEL AMORIM DAS VIRGENS FILHO]

https://pje.trt14.jus.br/primeirograu/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam

 

Fonte: TRT14 RO.

SINDICATO DENUNCIA EMPRESA FORTESUL E MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO ENTRA COM AÇÃO E JUIZ CONCEDE BLOQUEIO DE CRÉDITOS JUNTO AOS ÓRGÃOS.

VEJA DECISÃO DO JUIZ: 

PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – 14ª REGIÃO

4ª VARA DO TRABALHO DE PORTO VELHO

Rua Prudente de Moraes, 2313, Centro, PORTO VELHO – RO – CEP: 76801-039

PROCESSO Nº 0000242-10.2015.5.14.0004
RECLAMANTE(S): MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO 14ª REGIÃO
RECLAMADO(S): FORTESUL SERVICOS ESPECIAIS DE VIGILANCIA E SEGURANCA LTDA

                     D E C I S Ã O

Ministério Público do Trabalho – PRT 14ª Região, qualificado, ajuizou AÇÃO CAUTELAR INOMINADA COM PEDIDO DE LIMINAR INAUDITA ALTERA PARTE, em face de FORTESUL SERVIÇOS ESPECIAIS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA LTDA, igualmente qualificada.

Aduz o órgão ministerial que recebeu várias denúncias em face da requerida, encaminhadas pelo SINTESV-RO, SRTE/RO, TRT da 14ª Região, DPU/RO, ABIN e por trabalhadores da empresa, as quais evidenciam reiterados atrasos no pagamento dos salários dos trabalhadores, vale alimentação e outras verbas. Narra que a situação vem se estendendo com gravidade.

Noticia a parte autora ter realizado audiência em 19 de fevereiro de 2015, na qual a empresa confirmou o atraso nos pagamentos dos salários de janeiro, do vale-transporte e do vale-alimentação, informando existir dificuldade financeira, devido ao não recebimento regular das verbas devidas pelos seus tomadores de serviços. Informa que se aguardou o prazo de 10 dias para comprovação da regularização dos pagamentos das verbas mencionadas, o que não ocorreu.

Prossegue afirmando que, no dia 10 de março de 2015, uma nova denúncia chegou ao órgão ministerial, noticiando a permanência da mora no pagamento das aludidas verbas, conforme NF Nº 212.2015.14.000.

Para destacar a importância da medida judicial pleiteada, o Ministério Público do Trabalho destaca que: “a requerida possui atualmente em torno de 220 vigilantes no Estado de Rondônia, mantendo uma folha salarial mensal em torno de R$300.000,00, bem como presta (va) serviços a diversas instituições nesta capital, como o E. Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, a Defensoria Pública da União, a Polícia Federal, a ABIN, entre outras”.

Na inicial, destaca-se ainda a juntada de relatório da SRTE/RO, de ofícios encaminhados pelos diversos órgãos públicos tomadores de serviços da ré, incluindo-se este Egrégio Tribunal e a ABIN, dentre outros documentos, por meio dos quais, a parte autora aduz a presença do fumus boni juris.

O órgão ministerial também invoca documentos que relacionam aproximadamente 200 a 370 trabalhadores, com pagamentos dos salários em atraso, relativos aos meses de janeiro do ano em curso. Destaca que os laboralistas continuam recebendo com atraso vale-transporte e auxílio-alimentação, dentre outros pontos. Aduz que os atrasos para os trabalhadores ativados na prestação de serviços em benefícios de diversos órgãos, o fim do contrato com a ABIN e outros fatores discriminados na petição inicial, tornam necessária a concessão da medida liminar acautelatória.

Nesse ponto, aduz o risco de dilapidação patrimonial e ampliação de prejuízos aos trabalhadores, em caso de não concessão da tutela de urgência.

Quanto à ação principal, destaca que será manejada no prazo legal e será uma ação civil pública, na qual serão cobrados os salários em atraso e seus consectários legais, além de postulado o cumprimento da legislação trabalhista pela requerida.

É o relatório.

Passo a decidir.

A medida cautelar destina-se a evitar que, com o passar do tempo, o advento da tutela jurisdicional torne-se inócuo para o beneficiário. Trata-se de medida destinada, portanto, a assegurar o resultado útil de uma demanda. Por isso, a doutrina clássica refere-se ao processo cautelar como “instrumento do instrumento”.

Nessa linha, a decisão do processo cautelar é tomada em um juízo de cognição sumária, baseada na plausibilidade (fumus boni iuris) e no risco de que o provimento final seja ineficaz, em razão da ocorrência de dano irreparável ou de difícil reparação à parte requerente da medida cautelar (periculum in mora).

Para tanto, nos termos do art. 798 do CPC, é lícito ao juízo, no exercício do poder geral de cautela, determinar as medidas aptas a evitar que o pretenso direito pereça em face do ônus do tempo.

No exame do fumus boni juris, destaco ser público e notório nesta especializada, as demandas em face da empresa requerida. Apenas para ilustrar, no mês de fevereiro deste ano, analisei os autos de número 0010987-83.2014.5.14.0004, em que houve sentença condenatória, envolvendo dentre outras verbas, salários atrasados, notadamente o de janeiro de 2015. Essa causa possuía diversas reclamadas, evidenciando a quantidade de prestadores de serviços variados contratantes da reclamada. Referida sentença já teve o trânsito em julgado certificado nos autos.

Além desta, no corrente mês de março de 2015, julguei o processo de número 0000054-17.2015.5.14.0004, também com a empresa FORTESUL no pólo passivo, na qual julguei procedente o pedido de pagamentos de salários a partir de dezembro de 2014.

Na presente ação cautelar, o Ministério Público do Trabalho trouxe aos autos, dentre vários documentos, o de ID bac9de5, no qual a Defensoria Pública da União noticia o não pagamento de haveres trabalhistas pela empresa FORTESUL, notadamente salários, vale-alimentação e vale-transporte, desde dezembro de 2014.

A Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) também noticiou inadimplemento trabalhista da requerida para o órgão ministerial, notadamente salários e gratificações natalinas, conforme documento de ID 9777e0f, no qual a ABIN também destacou o recebimento de ofício por parte do sindicato profissional da categoria, noticiando a inadimplência coletiva, bem como, informou que o contrato com aquela agência encerraria em fevereiro de 2015.

Os demais documentos trazidos nos autos, apenas reforçam o que já é de conhecimento do juízo, no sentido da inadimplência da requerida com diversos empregados de seu quadro, com efeitos nos diversos contratos de prestação de serviços para órgãos públicos, como a DPU-RO e a ABIN.

A plausibilidade do direito invocado (fumus boni iuris), em cognição exauri ente, está plenamente evidenciada.

Quanto ao perigo na demora, a quantidade significativa de empregados da reclamada, o fato de ser reiterado o atraso e, mais recentemente, o inadimplemento salarial, evidencia que a não concessão da tutela de urgência poderá inviabilizar o recebimento do crédito pelos trabalhadores. Além disso, a persistir o atraso salarial, a reclamada continuará a se beneficiar do trabalho humano de terceiros, sem efetuar as contraprestações devidas, em nítido desprestígio ao mandamentos constitucionais que consagram a valorização do trabalho humano (arts. 1º, VI, 170 e 193, CRFB), além de risco na qualidade dos serviços prestados a entes públicos.

Vale destacar que, nas ações mencionadas acima, não constatei nem sequer recurso por parte da empresa FORTESUL, tampouco satisfação de débitos antes de iniciar-se a iminente execução. Isso reforça o risco de ineficácia da decisão final e revela que o receio de dilapidação patrimonial suscitado pelo Ministério Público do Trabalho baseia-se em fatos concretos, amparados pelas regras ordinárias de experiência e não por simples receio.

Diante do exposto, em cognição exauri ente reputo demonstrado o perigo na demora.

Presentes os requisitos necessários para concessão da medida cautelar.

Quanto ao bloqueio de créditos, a medida é devida de imediato, uma vez que os trabalhadores devem ser os primeiros a receberem a contraprestação pelo serviço prestado, em face da primazia do crédito jus trabalhista.

Todavia, o bloqueio de créditos pode ser insuficiente para alcançar o valor de R$1.500.000,00 postulado pelo órgão ministerial, motivo pelo qual, quanto ao bloqueio online via bacenjud, este deverá ser imediatamente realizado.

Todavia, considerando o princípio da menor onerosidade para a parte devedora, à medida em que houver êxito nos bloqueios de crédito, os valores bloqueados via bacenjud deverão ser liberados no mesmo montante, tendo em vista que o valor para acautelar o direito a ser postulado na ação principal já foi estabelecido em R$1.500.000,00, valor atribuído à causa desta ação cautelar.

Quanto ao pedido de obrigação de não – fazer, pretende o órgão ministerial que a empresa requerida “abstenha-se de pagar honorários, gratificações, pró-labores ou quaisquer outros tipos de retribuições ou retiradas a seus Diretores, bem como de não distribuir quaisquer lucros, bonificações, dividendos ou interesses a seus sócios, titulares, acionistas ou membros de órgão dirigentes, fiscais ou consultivos”.

Para analisar referido pedido, não se deve ignorar que o crédito trabalhista goza de primazia no ordenamento jurídico brasileiro. Desse modo, não faz sentido uma empresa que não paga os seus encargos trabalhistas (obrigação primeira) distribuir créditos quirografários a quem quer que seja, sobretudo os seus acionistas, diretores e demais integrantes, sob pena de inverter-se a lógico celetista de que a alteridade corre por conta do empreendedor (art. 2º da CLT).

Nesse sentido, até mesmo quando se trata de crédito tributário e, portanto, com menor hierarquia que o crédito trabalhista, o art. 32, “b” da Lei 4.357/64 veda que haja distribuição de lucros a sócios, diretores e outros, enquanto não adimplido o crédito tributário. Nos termos do art. 8º da CLT, tal norma incide no direito do trabalho, pois o crédito decorrente das relações de trabalho tem absoluta prioridade nos pagamentos.

ANTE O EXPOSTO, nos autos da ação cautelar inominada proposta por MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO, em face de FORTESUL SERVIÇOS ESPECIAIS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA LTDA, em tramitação nesta 4ª Vara do Trabalho de Porto Velho, com permissivo nos arts. 798, 799 e 804 do CPC c/c art. 769 da CLT, DEFIRO o pedido de medida liminar acautelatória, para o fim de:

1- DETERMINAR o imediato bloqueio e indisponibilidade de todo e qualquer numerário existente e destinado à empresa FORTESUL SERVIÇOS ESPECIAIS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA LTDA, proveniente dos contratos mantidos com o Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, a Agência Brasileira de Inteligência, a Defensoria Pública da União em Rondônia, a Polícia Federal, o IPAM, o Instituto Chico Mendes (CMBIO) e a FIERO, até o total de R$1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais), ficando tais quantias à disposição do Juízo desta 4ª Vara do Trabalho;

2- REALIZAR bloqueio online via bacenjud, nos ativos financeiros da empresa reclamada, até o limite de R$1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais), o que é feito neste ato (protocolo para consulta de número 20150000880745).

3- DETERMINAR que a empresa requerida, imediatamente, ABSTENHA-SE de pagar honorários, gratificações, pró-labores ou quaisquer outros tipos de retribuições ou retiradas a seus Diretores, bem como de distribuir quaisquer lucros, bonificações, dividendos ou interesses a seus sócios, titulares, acionistas ou membros de órgão dirigentes, fiscais ou consultivossob pena de envio de ofício à polícia federal para apuração de crime de desobediência, de multa equivalente ao dobro dos valores que transferir em desacordo com a presente ordem judicial, reversíveis ao FAT e limitados a R$1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais).

Deve a Secretaria Judiciária observar que à medida em que houver êxito nos bloqueios de crédito da reclamada perante os contratantes, os valores eventualmente bloqueados via bacenjud deverão ser liberados no mesmo montante, a fim de que a garantia seja sempre limitada a R$1.500,00 (um milhão e quinhentos mil reais).

Por medida de economia e de celeridade processuais, valerá o presente como MANDADO DE BLOQUEIO DE VALORES, em desfavor da empresa Requerida a ser cumprido junto aos órgãos indicados e supracitados, ou seja, proveniente dos contratos mantidos com:

  1. a) Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, sito na Av. Almirante Barroso, n. 600 – Centro;
  2. b)Agência Brasileira de Inteligência, sito na Av. Almirante Barroso nº 1403, Bairro Nossa Senhora das Graças – Porto Velho;
  3. c)Defensoria Pública da União em Rondônia, sito na Rua Natanael de Albuquerque, n. 192 – Centro – Porto Velho;
  4. d) Polícia Federal, sito na Avenida Lauro Sodré, 2905, Porto Velho – RO;
  5. e) IPAM, sito na Rua Venezuela, 600 – Nova Porto Velho/RO;
  6. f) Instituto Chico Mendes (CMBIO), sito na Av. Lauro Sodré, n. 6500; Bairro Aeroporto – CEP: 76803-260;
  7. g)FIERO, sito na Rua Rui Barbosa, nº 1112 – Edifício Armando Monteiro Neto, Porto Velho/RO.

Todos indicados na inicial da presente Ação Cautelar para que, procedam, imediatamente, à retenção de eventuais créditos a serem repassados à Requerida FORTESUL SERVIÇOS ESPECIAIS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA LTDA e, que os depositem, imediatamente, à disposição do Juízo da 4ª Vara do Trabalho de Porto Velho, na agência 2757-X, do Banco do Brasil, no PAB-Fórum Trabalhista (Rua Prudente de Moraes, 2313, Centro), observado o limite de R$1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais), em Conta Judicial.

Para fins de cumprimento desta determinação, deverá o Sr. Oficial de Justiça dirigir-se aos endereços supracitados para cumprimento a Ordem de bloqueio. Na sequência, deverá dirigir-se ao endereço da Requerida para proceder a intimação.

Intimem-se as partes da decisão.

Proceda-se a citação da requerida para, querendo, responder aos termos da presente ação, no prazo legal, sob pena de revelia.

Fica autorizada a Secretaria, sob a supervisão imediata do Diretor, a confeccionar e subscrever os expedientes necessários ao fiel cumprimento do quanto acima determinado.

Porto Velho, 25-03-2015.

        Jobel Amorim das Virgens Filho

          Juiz do Trabalho Substituto

    (documento firmado por assinatura eletrônica)       

  

Assinado eletronicamente. A Certificação Digital pertence a:
[JOBEL AMORIM DAS VIRGENS FILHO]

https://pje.trt14.jus.br/primeirograu/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam

 

A DIRETORIA DO SINDICATO INFORMA QUE OS ADVOGADOS DO SINDICATO ESTARÁ INDICANDO OS DEMAIS POSTOS DE SERVIÇOS DA EMPRESA FORTESUL PARA QUE O JUIZ TAMBÉM SOLICITE O BLOQUEIO JUDICIÁRIO.

 

Fonte: TRT14 RO.

SINDICATO ENCAMINHA 7º LOTE DE PAGAMENTO DOS EX-VIGILANTES DA ROCHA.

Conforme acordo judicial SEDUC deposita valores e Sindicato encaminha 7º Lote de Pagamento dos Ex-Vigilantes da empresa Rocha, sendo organizados em ordem alfabética de (A até Z ou de Z até A).

Da mesma forma, serão feitas os demais Lotes, a assessoria jurídica do Sindicato não medira esforços mês a mês para que os demais lotem sejam depositados para que o mais rápido possível seja solucionada a situação dos vigilantes.

RELAÇÃO DO 7º LOTE DOS EX-VIGILANTES DA EMPRESA ROCHA

Nome do Funcionário Cidade
GEVALDO BRASIL DA SILVA Porto Velho
LOURIVAL ANDRADE DE SOUSA Espigão do Oeste
LUCIANO MARTIMBIANCO CADETTE Nova Brasilândia
LUCIANO OSSUNA DE MELO Rolim de Moura
LUCIANO VIEIRA DE SOUZA Porto Velho
LUIS CARLOS ALVES DE SOUSA Porto Velho
LUIS CARLOS CARDOSO DA SILVA Porto Velho
LUIS CARLOS DA SILVA Porto Velho
LUIZ CARLOS COSTA JUNIOR Porto Velho
LUIZ CARLOS DA SILVA SOARES Porto Velho
LUIZ CARLOS TAVARES PEREIRA Ouro Preto
LUIZ DANTAS DA SILVA Porto Velho
LUZEMAR ALCIDES DA SILVA Pimenteiras
MACIEL FERNANDO DAMASCENO DA SILVA Alvorada do Oeste
MADSON MAGALHAES PIMENTEL Ji-Paraná
MAGNO ROCHA DE OLIVEIRA Porto Velho
MAGNUM DE CARVALHO Ariquemes
MAGNUM SANTANA SALVATIERRA Porto Velho
MAIKON MARTINS SANTANA Colorado Do oeste
MAIQUE DEIVI VITALLI Santa Luzia
MANOEL ALVES DA SILVA Porto Velho
MANOEL ALVES DE BARROS Seringueiras
MANOEL HEITOR LIMA REIS Porto Velho
MARCELIANO NERI FILHO Pimenta Bueno
MARCELO RODRIGUES DE SOUZA Pres. Medice
MARCELO VIDOTTO Parecis
MARCILEI SANTOS DE OLIVEIRA Porto Velho
MARCILENE DE SOUZA LIMA Rolim de Moura
MARCIO ALVES DE OLIVEIRA Porto Velho
MARCIO CHAGAS MARQUES Triunfo
MARCIO JOSE XIMENES PONTES RIBEIRO Porto Velho
MARCIO NEI AMORIM CARVALHO Porto Velho
MARCIO PEREIRA DE SOUZA Porto Velho
MARCIO ROCHA VIEIRA Alvorada do Oeste
MARCO ANTONIO RODRIGUES SALOMÃO Ji-Paraná
MARCO DANIEL RODRIGUES SILVA Porto Velho
MARCOS ANTONIO GUERRA Ariquemes
MARCOS FERREIRA DOS SANTOS Pres. Medici
MARCOS MORAIS Ji-Paraná
MARCOS QUIRINO DA SILVA Buritis
MARCOS VINICIUS DE OLIVEIRA São Felipe
MARIA ANTONIETA SILVA FONSECA Porto Velho
MARIA CLAUDIANA AGUIAR MELO Porto Velho
MARIA CLEA REIS DE OLIVEIRA Porto Velho
MARIA DA GLÓRIA DA PAZ OLIVEIRA Porto Velho
MARIA DIRLANE DA SILVA PINTO São Carlos
MARIA FRANCISCA DE AZEVEDO OLIVEIRA Vista Alegre
MARIA ZINETE DA SILVA Vilhena
MARILENE DA SILVA SANTOS Rolim de Moura
MARINHO DA VITORIA Riozinho
MARIO CLEBER GONÇALVES SANTIAGO Porto Velho
MARIO DA CONCEIÇÃO VIANA OLIVEIRA Porto Velho
MARISANGELA ALVES DE OLIVEIRA Porto Velho
MARISETE DUARTE DOS SANTOS Ariquemes
MARIVALDO SILVA E SILVA Nazaré
MARLENE DE FATIMA PINTO Monte Negro
MATHEUS ESTEVA SOARES Nova União
MAXIMO VIEIRA DA SILVA Porto Velho
MESSIAS DE CAMPOS Pres.Medici
MICAIAS FERREIRA FACUNDES Porto Velho
MILSON DO CARMO TRINDADE Porto Velho
MIRIAM MATOS DA SILVA Jaci Paraná
MOACYR BEZERRA DOS SANTOS FILHO Porto Velho
MOISES FRANCISCO CHAGAS Ouro Preto
MOISES NUNES BRAGA Porto Velho
MOISES PEREIRA FIRMINO Nova Londrina
MOISES SCHUANZ Espigão do Oeste
MONICA RODRIGUES SILVA DOS SANTOS Porto Velho
MOURISALBERT SOUSA DA SILVA Porto Velho
NAEZIO SILVA SANTOS Mirante da Serra
NAIARA OLIVEIRA SILVA Porto Velho
NATANAEL ABIAS VIEIRA PANTOJA Calama
NELSON AZEVEDO REIS Porto Velho
NELSON FRANCISCO DO REGO Alta Floresta
NELSON RODRIGUES DOS SANTOS Alto Alegre Parecis
NICOMEDES SARAIVA DOS SANTOS NETO Porto Velho
NILTON JOSE RIBEIRO SILVA Rondominas
NILTON NASCIMENTO DA SILVA Porto Velho
NIZAN LOBATO DOS SANTOS Porto Velho
NORMA DOS SANTOS RODRIGUES Jaci Paraná
ODACIR WOLL DE OLIVEIRA Chupinguaia
ODAIR LIMA DOS SANTOS Ouro Preto
ODAIR PEREIRA DOS SANTOS Porto Velho
ONOFRE HONORATO DE PAULO Alto Alegre Parecis
OSCAR ALVES DE MOURA Vilhena
OSCAR DA SILVA RAMOS Teixeirópolis
OSEMAR DUARTE PINTO Porto Velho
OSMAEL CARDOSO DE ALMEIDA Porto Velho
OZANILSON MARTINS FLAUZINO Porto Velho
OZEIAS DA SILVA FERREIRA Costa Marques
OZEIAS GONÇALVES DA SILVA Porto Velho
OZEIAS SCHUAVAB Ji-Paraná
OZIEL MARTINS DE SOUZA Chupinguaia
PABLO JUNIOR MOREIRA Alta Floresta
PAULO BATISTA OBEREK Porto Velho
PAULO BORGES DE ARAUJO Porto Velho
PAULO CESAR CARVALHO RIBEIRO Porto Velho
PAULO CESAR DA SILVA Cujubim
PAULO CORNELIO ALVES Urupá
PAULO GOMES ALVES Porto Velho
PAULO JOSE DA SILVA Porto Velho
PAULO JOSE MARTINS Porto Velho
PAULO MACEDO RIBEIRO Porto Velho
PAULO MARQUES SOARES Porto Velho
PAULO ROGERIO DOS SANTOS Pres. Medici
PAULO SERGIO DOS SANTOS Ariquemes
PEDRO MARQUES DA CRUZ Ouro Preto
PEDRO MARTINS FRAZÃO Porto Velho
PETRIO BATISTA OBEREK Porto Velho
QUISSIA MAFRA DOS SANTOS Porto Velho
RAIMUNDO CORREIA LIMA Porto Velho
RAIMUNDO DOS SANTOS MENDES Porto Velho
RAIMUNDO ELSON DE CASTRO Porto Velho
RAIMUNDO NERY GONÇALVES Porto Velho
RAIMUNDO NONATO DE AMORIM Porto Velho
RAIMUNDO NONATO FERREIRA DO NASCIMENTO Alto Paraíso
RAIMUNDO NONATO SOUZA SANTOS Porto Velho
REGINALDO LIMA DE CASTRO Pres. Médici
REGINALDO RODRIGUEZ Alvorada do Oeste
REGINALDO ROSA DE MIRANDA Vilhena
REGINEA CLAUDIA DOS SANTOS Buritis
REINALDO CARDOSO PEREIRA Ji-Paraná
REINALDO MACIEL DOS PASSOS Nazaré
REINALDO RAIMUNDO Seringueiras
REMILSON SANTANA CASTRO Porto Velho
RENATA RODRIGUES DE JESUS Rolim de Moura
RENATO FLORINDO PEREIRA Alvorada do Oeste
RENATO GOMES DA SILVA Primavera de Ro
RENI SOARES DE MIRANDA Porto Velho
RICHARD DE BRITO DA COSTA Porto Velho
RINALDO FIRMINO RODRIGUES Castanheiras
ROBERTO DE OLIVEIRA CARDOSO Campo Novo
ROBSON PRATA FROTA Ji-Paraná
RODNEY OLIVEIRA DE ARAÚJO Campo Novo
RODRIGO EMILIANO Ji-Paraná
RODRIGO FLORINDO DE MORAES Porto Velho
RODRIGO MARTINS DE LIMA Rolim de Moura
ROGELIO FILIPIN Nova Brasilândia
ROGERIO CARVALHO Espigão do Oeste
ROGMAR DOMINGOS DE OLIVEIRA São Felipe
ROMILDE DA SILVA LEITE Porto Velho
ROMULO DE LIMA SANTOS Chupinguaia
RONALDO ANDRADE DE SOUSA Espigão do Oeste
RONALDO BARROS MESQUITA Porto Velho
RONALDO FARIAS DE ARAÚJO Rondominas
RONDONÉSIO ALVES LIMA Porto Velho
RONEY ROCHA DA SILVA São Miguel do Guaporé
ROSANA TAVARES RUY NUNES Ji-Paraná
ROSANGELA ARAÚJO MONTEIRO Porto Velho
ROSANGELA PEREIRA DE CASTRO Porto Velho
ROSENILDO ALVES DE MELO Estrela de Rondônia
ROSIANE ROBAK DA SILVA Corumbiara
ROSILEIDE SOUZA XAVIER Ouro Preto
ROSILENE FERREIRA DE OLIVEIRA Ji-Paraná
ROSILENE OLIVEIRA DA SILVA São Carlos
ROSIMAR ROBERTO DE CARVALHO Porto Velho

A diretoria comunica aos ex-vigilantes da empresa Rocha que o lote contempla os vigilantes não sindicalizados, sendo organizados em ordem alfabética (de Z até A). Sendo este o segundo lote a ser pago neste ano, o sindicato solicita que os vigilantes a seguir entrem em contato com o sindicato: EURIDES APARECIDO DA SILVA, FAEZA LAINO GONZAGA, FRANCISCO PAIVA DA COSTA e GERALDO GOMES PESSOA.

Fonte: SINTESV/RO.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: